Rua Adriano José Marchini, 153 - São Paulo-SP 11 3619-1600

Visão diante da crise

Gostou? compartilhe!

Visão diante da crise

 

    Este não é mais um artigo sobre as políticas econômicas da crise dos caminhoneiros, mas um convite a contemplar novos cenários e, se for o caso, sair da zona de conforto e experimentar aquele seu projeto engavetado, ou tirar a bike da garagem... 

    Dependermos de combustíveis fósseis não pode ser a única causa para a crise, já que de outro modo, e em outras circunstâncias, outras alternativas poderiam ser direta ou indiretamente impactadas pela alta do dólar e política tributária.

 

   Mas este é o melhor momento para refletir sobre nas oportunidades que este tipo de situação pode gerar para introduzir novos hábitos no cotidiano dos brasileiros. Veículos elétricos, transporte público, bicicletas e ciclovias, app de carona, trabalho remoto, etc.

   Momentos de crise geralmente vêm do clímax de uma sucessão de decisões irracionais e abusivas. Mas é inegável que elas despertam a mudança e deixam um legado cultural bastante exemplar.

Podemos listar alguns exemplos:

  • Se você é socialista, a Revolução de Outubro levou à criação da URSS e espalhou ideia do socialismo pela Europa.

  • Se é capitalista, a destruição do Japão na Segunda Guerra gerou a oportunidade de uma nova aliança política com os EUA, que incluiu o Japão na economia internacional.

  • A Revolução Americana nos EUA fez o rei Francês mandar o exército para as Américas para ajudar os EUA a repelir as tropas inglesas que queriam restaurar a colônia.

  • O mesmo evento fez o estado francês gastar demais, entrar em crise e inflamar a Revolução Francesa, que derrubou o sistema absolutista e os privilégios da nobreza e também influenciou fortemente a independência de alguns países na América do Sul.  

   Na vida privada: decepções amorosas geram mudanças de hábitos muitas vezes positivas. Gravidez indesejadas amadurecendo casais, crises econômicas gerando empreendedores e tirando as pessoas da zona de conforto.

   O ponto é: crises geram mudanças. Estas podem ter um saldo catastrófico, evidentemente. Mas o convite deste texto é à mentalidade de experimentar o novo. De sair da zona de conforto e tocar aquele projeto engavetado sobre como sua ideia pode otimizar o trânsito na sua cidade; sobre como a ciclovia ou os anunciados carros elétricos poderiam dar opções às pessoas em vez de ficarem sem escolha numa hora de emergência. Sobre como aquele esquema de caronas pode desafogar o trânsito e até aproximar as pessoas!

 

   É um momento de oportunidade; de reflexão sobre nosso cenário atual e futuro; de união contra a atual conjuntura política e tributária. 

  Há males, e não devem ser ignorados, mas fica o convite para pensar em como pegar esse limão da vida e fazer uma bela limonada!



Gostou? compartilhe!